terça-feira, 18 de setembro de 2012

Desperdício na construção civil

A construção civil nacional tem em média perda de 5%.

 As empresas de construção civil têm convivido com inúmeras críticas relacionadas ao desperdício de materiais nas obras. O grande volume de entulho desprezado é algo que sempre aparece como notícia em jornais, em revistas e em outros meios de comunicação. Sabe-se que o desperdício de materiais possui um número significativo nas construções.

A construção civil nacional tem em média perda de 5%. Neste percentual não está incluso o mercado informal, responsável por mais da metade das construções. Se em percentagem esse desperdício não é tão grande, financeiramente o número é outro, já que o custo da obra sempre envolve bastante dinheiro.

Para que uma construção ou reforma não desperdice muito material, estabelecemos aqui dicas a serem levadas em consideração, para um melhor aproveitamento e economia na obra.

 

1. Sempre faça um projeto da obra, mesmo rudimentar (esboço), ele facilita o orçamento e evita o desperdício de materiais.
2. A efetivação de uma pequena equipe de planejamento e administração de materiais permite reduzir o desperdício, que chega a representar um custo adicional de 12% do valor da obra.
3. Faça uma lista de materiais e uma programação das compras necessárias para toda a obra. Utilize sempre a ajuda de um engenheiro ou arquiteto.
4. Ao começar a obra, não faça as compras de material todas de uma vez. A grande quantidade pode levar ao desperdício.
5. O canteiro deve estar bem organizado e limpo, cuidado ao guardar o material e evite mudanças.
6. O espaço do canteiro deve ser definitivo. Os corredores de passagem bem estabelecidos. Deslocamento de material gera desperdício.
7. Quanto aos materiais de construção:
  • Tijolos e telhas, guardados em pilhas para evitar quebras;
  • Sacos de cimento e argamassas, armazenados longe da umidade;
  • Material mais delicado deve ser transportado em carrinhos de mão.
8. Na preparação do concreto, deve-se calcular bem a quantidade necessária para uso. As sobras não podem ser guardadas, a mistura endurece.
9. As chapas de madeira adotadas na confecção de fôrmas para estruturas de concreto, principalmente lajes, normalmente apresentam rápido desgaste e baixo índice de reutilização. Isso se deve aos danos causados durante as etapas de montagem, desmontagem e transporte. A proteção das bordas e o razoável enrijecimento, obtido com o uso de requadro com perfis metálicos seção "U", tem contribuído bastante para aumentar o número de reutilizações das chapas.
10. Calcule bem a espessura das vigas de acordo com as de alvenaria, evite que posteriormente sejam preenchidas com argamassa.
11. Para manuseio do aço na obra é necessário adotar rotinas relacionadas ao recebimento no canteiro, passando pelo corte planejado, a montagem e o controle das respectivas aparas geradas. A criação de uma central de montagem tem sido valiosa para reduzir os custos e melhorar o padrão de qualidade.
12. A argamassa para revestimento é um dos mais freqüentes fatores de desperdício nas obras, desde as péssimas condições de estocagem e de preparação, até a aplicação.

Causas

Uma das causas do desperdício nas construções está no próprio layout dos canteiros. A forma com que os materiais são dispostos obriga o pedreiro a fazer grandes deslocamentos, provocando perda substancial de tempo. Falhas nas construções também são comuns, confirmando um dos mais graves problemas da cons-trução brasileira: a mão-de-obra desqualificada. "Esse é o fator responsável pela falta de padronização das técnicas de construção", lamenta Antônio Neves de Carvalho

 


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário